Um Campeonato de dois Campeões

Um Campeonato de dois Campeões

29/04/2019 0 Por Gabriel Andrea

O roteiro das grandes ligas é geralmente bem clichê. É bem frequente que se tenha sempre dois ou três clubes acima dos demais e uma briga particular entre essas potências. Isso quando não há apenas um clube se isolando na liderança do torneio de forma precoce e caminhando sozinho na busca do título nacional, o que é comumente visto em ligas como a italiana e a francesa, por exemplo.

Nesta temporada, entretanto, o cenário é diferente e chama bastante a atenção na maior liga de pontos corridos do mundo: a inglesa. Sem sombra de dúvidas, o universo do futebol não está acostumado com o que estamos presenciando nesta temporada na Premier League.

Dois dos melhores elencos de todo o mundo, Liverpool e Manchester City vem fazendo um campeonato completamente à parte na Inglaterra e competindo praticamente sozinhos nesta temporada. Desde o início da era Premier League, na temporada 92/93, nunca antes um segundo colocado havia batido a marca dos 90. Apenas em 94/95 e em 11/12 duas equipes chegaram tão perto dessa marca na última rodada.

Temporadas em que dois clubes quase chegaram à marca dos 90 pontos desde o início da Premier League; em 94/95 foram disputados 42 jogos (via premierleague.com)

Na primeira ocasião, o Blackburn foi o grande campeão nacional com 89 pontos, enquanto o Manchester United chegou aos 88. Na segunda ocasião, os dois times de Manchester ficaram no topo até os últimos minutos, literalmente – isso porque Aguero fez o gol da virada do City contra o QPR nos minutos finais e tirou a taça das mãos dos Devils faltando pouco tempo para o apito final. Os Citizens acabaram o torneio com 89 pontos, contra os mesmo 89 dos Devils, que ficaram atrás apenas nos gols feitos.

A temporada 18/19 será, portanto, aquela a ser batida em todos os critérios pensados no quesito igualdade de pontos. Estamos, acima de tudo, falando de dois elencos que são fora de série inclusive em nível internacional. Mesmo com mais de 90 pontos garantidos na competição nacional, Liverpool e City protagonizam nesta semana as semifinais da Liga dos Campeões com grandes chances de chegarem à final. A temporada dos dois clubes é histórica, acima de tudo.

(Créditos: Reuters)

São dois clubes completamente fora da curva. É válido frisar a constância do time de Pep Guardiola. Não bastassem bater os 100 pontos na última temporada, as ganas para esse não pararam por ali e hoje o clube busca o bicampeonato do torneio, fato que não ocorre desde 2006/2007 quando, até 2008/2009, o Manchester United levantou a taça por incríveis três temporadas consecutivas (incluindo a Champions League de 07/08).

Klopp e Pep têm em mãos elencos similares e unidos há mais de dois anos, o que lhes vem dando a oportunidade de agregar a devida química com a qualidade das novas peças que chegaram às suas equipes nesse meio-tempo, isso tudo unido à altíssima capacidade funcional desses treinadores de ponta. Fato é que é um privilégio para a Premier League ter dois managers do tamanho desses dois dentro de seu torneio, o que qualifica e não dá margens para a liga não deixe de ser chamada de “a melhor do mundo”.