A Copa América que você desconhece

Dois países nunca levantaram a taça

Equador e Venezuela são os dois únicos países sul-americanos que nunca conquistaram a Copa América. Até mesmo a Bolívia, tradicional saco de pancadas do continente, já levou a melhor – lá no distante ano de 1963. O Chile, que também nunca havia vencido, quebrou o jejum há duas edições, vencendo a Argentina na grande final.

Maiores goleadores

O brasileiro Zizinho e o argentino Norberto Méndez dividem a artilharia história do torneio. Os dois tem 17 gols, marcados em edições nas décadas de 40 e 50. O peruano Paolo Guerrero, com 10 gols, é o jogador em atividade mais próximo da marca.

Fontes: Wikipedia e Twitter/Federación Peruana de Fútbol

Primeiro gol

O primeiro gol da CONMEBOL Copa América foi marcado pelo uruguaio José Piendibene, no dia 2 de julho de 1916, quando o torneio ainda era chamado de Campeonato Sul-Americano de Futebol. Foi aos 44 minutos do primeiro tempo contra o Chile, que terminou vencendo o Uruguai por 4×0 no estádio Gimnasia y Esgrima, em Buenos Aires.

Um velho conhecido

Pode não fazer absolutamente nenhum sentido, mas acredite: o Japão já participou de uma Copa América. Em 1999, os asiáticos foram uma das seleções convidadas para fechar os 12 participantes do atual formato da competição. Os azuis foram eliminados ainda na fase de grupos, após duas derrotas e um empate. O mais curioso é que esta combinação absurda quase se repetiu em 2011 e 2015, quando a Conmebol voltou a convidar os nipônicos, que não puderam vir.

Maior número de participações

Com 34 jogos, Sergio Livingstone é o jogador com mais participações no torneio. O último jogo do ex-goleiro chileno foi em 28 de março de 1953 contra a Bolívia.

Fonte: Wikipedia

Goleadas

Os hermanos são donos das maiores goleadas da competição. Em 1942, a Argentina goleou o Equador por 12×0. Em 1975, a vítima foi a Venezuela: 11×0 para os albicelestes.

A (multicampeã) família Forlán

Quando conquistou a Copa América com o Uruguai em 2011, Diego Forlán completou uma linda história futebolística e familiar. Isto porque o camisa 10 celeste foi a terceira geração de sua família a levantar a taça. Antes dele, seu pai, Pablo Forlán, e seu avô materno, Juan Carlos Corrazo (como treinador) venceram a Copa América. – “Este troféu significa muito para mim. Meu avô ganhou essa Copa, meu pai também e agora eu. São três gerações, significa muito para a família”, disse o craque.

Crédito: Conmebol

“O causo” Luxa e Ronaldo

Aos 22 anos de idade, a balança já era um problema na carreira do Fenômeno. O atacante se apresentou acima do peso para a disputa da Copa América de 1999, disputada no Paraguai, e teve que usar um método um tanto quanto alternativo para livrar-se dos quilos extras. Vanderlei Luxemburgo revelou a história alguns anos mais tarde: – “Houve experiência muito legal e tenho que contar: na Copa América, ele precisava diminuir o peso. Conversamos e ele falou que estava acima e tacamos Xenical (remédio para diminuição de peso) nele. Ele teve de ficar andando com aquele fraldão e dizia: “Pô, mister, tenho de andar de fralda?” (risos) – contou Luxa. Um dos efeitos colaterais do remédio é o “aumento das evacuações”. Mas a verdade é que naquela época nada era empecilho para Ronaldo. Apesar das fraldas do craque, o Brasil foi campeão e o Fenômeno terminou a competição como artilheiro.

O maior campeão

Nem Brasil, nem Argentina. O maior campeão da história da Copa América é o Uruguai. Com 15 títulos, os celestes têm uma taça de vantagem em relação a Argentina – que não leva o caneco desde 1993. A última vitória uruguaia aconteceu em 2011, quando Diego Lugano levantou a Copa. O Brasil tem apenas oito títulos, mas possui um ótimo retrospecto na era moderna do torneio: são quatro conquistas nos últimos 20 anos, contra apenas uma dos uruguaios e nenhuma dos argentinos.

(dados complementares e histórico (editados) – via: conmebol.com; falauniversidades.com.br; 90min.com)

Leave a comment

Your email address will not be published.


*